Del
Del

Del

Chata
Chata

Chata

Quere
Quere

Quere

Legitly
Legitly

Legitly

Continua
Continua

Continua

Cat Hacks
Cat Hacks

Cat Hacks

voce
 voce

voce

ques
ques

ques

harried
harried

harried

youtubed
youtubed

youtubed

🔥 | Latest

÷ Músicas: redita CO o olfatoe o sentido a memoria emocional OTACREDITANISSOOFICIAL EDITANISSO ⚠️ Marque os seus amigos! ↗️ . O estudo, da Universidade de Utrecht, na Holanda, reuniu 70 estudantes em uma sala. Eles assistiram a vídeos que deveriam provocar incômodo e aversão, como acidentes de carro e cenas de violência. Ao mesmo tempo em q os vídeos eram exibidos, os pesquisadores borrifaram aroma de cassis na sala, projetaram luzes coloridas na parede de fundo e tocaram uma música “neutra”. Uma semana depois, os participantes foram divididos em grupos: uma parte foi exposta ao cheiro de cassis, outra às luzes projetadas na parede e a terceira à mesma música que tocou durante a reprodução dos vídeos. Então, os pesquisadores pediram para q eles descrevessem o que tinham visto nos vídeos uma semana antes. O grupo q foi exposto ao aroma de cassis não apenas se lembrou de mais detalhes sobre os vídeos, mas também relatou mais desconforto e sensações mais intensas do que aqueles cujo estímulo foi feito pela música ou pelas luzes. A pesquisa conclui que o cheiro é um gatilho mais poderoso para a lembrança de memórias do que visão e audição. Ela evita dizer, porém, q o resultado prova o “fenômeno proustiano”. O trabalho também não se aprofunda nas razões biológicas por trás do fenômeno. O motivo é que, embora indique um poder maior nas memórias olfativas, o estudo é um dos poucos q investigaram o tema. Uma das sugestões da ciência sobre por que o efeito proustiano acontece está na anatomia do cérebro e na proximidade entre o centro de processamento de cheiros e as regiões que controlam emoções e memórias. O neurocientista Christian Jarrett, autor de livros sobre o tema e editor do blog de divulgação científica da Sociedade Britânica de Psicologia, publicou em 2012 um texto em que fala sobre essa hipótese: o bulbo olfativo, que processa aromas, está em uma região do cérebro relativamente mais próxima do hipocampo e da amídala, que processam memórias e emoções, do que as áreas responsáveis pela visão e audição. Fonte: nexojornal . ❗SIGAM a ADM ➡️ @Nandinhatw
÷ Músicas: redita
 CO
 o olfatoe o sentido
 a memoria emocional
 OTACREDITANISSOOFICIAL
 EDITANISSO
⚠️ Marque os seus amigos! ↗️ . O estudo, da Universidade de Utrecht, na Holanda, reuniu 70 estudantes em uma sala. Eles assistiram a vídeos que deveriam provocar incômodo e aversão, como acidentes de carro e cenas de violência. Ao mesmo tempo em q os vídeos eram exibidos, os pesquisadores borrifaram aroma de cassis na sala, projetaram luzes coloridas na parede de fundo e tocaram uma música “neutra”. Uma semana depois, os participantes foram divididos em grupos: uma parte foi exposta ao cheiro de cassis, outra às luzes projetadas na parede e a terceira à mesma música que tocou durante a reprodução dos vídeos. Então, os pesquisadores pediram para q eles descrevessem o que tinham visto nos vídeos uma semana antes. O grupo q foi exposto ao aroma de cassis não apenas se lembrou de mais detalhes sobre os vídeos, mas também relatou mais desconforto e sensações mais intensas do que aqueles cujo estímulo foi feito pela música ou pelas luzes. A pesquisa conclui que o cheiro é um gatilho mais poderoso para a lembrança de memórias do que visão e audição. Ela evita dizer, porém, q o resultado prova o “fenômeno proustiano”. O trabalho também não se aprofunda nas razões biológicas por trás do fenômeno. O motivo é que, embora indique um poder maior nas memórias olfativas, o estudo é um dos poucos q investigaram o tema. Uma das sugestões da ciência sobre por que o efeito proustiano acontece está na anatomia do cérebro e na proximidade entre o centro de processamento de cheiros e as regiões que controlam emoções e memórias. O neurocientista Christian Jarrett, autor de livros sobre o tema e editor do blog de divulgação científica da Sociedade Britânica de Psicologia, publicou em 2012 um texto em que fala sobre essa hipótese: o bulbo olfativo, que processa aromas, está em uma região do cérebro relativamente mais próxima do hipocampo e da amídala, que processam memórias e emoções, do que as áreas responsáveis pela visão e audição. Fonte: nexojornal . ❗SIGAM a ADM ➡️ @Nandinhatw

⚠️ Marque os seus amigos! ↗️ . O estudo, da Universidade de Utrecht, na Holanda, reuniu 70 estudantes em uma sala. Eles assistiram a víde...

÷ Músicas: CHI HA SPENTO LA MUSICA?? UM Anche se ci scherziamo su, mancherai anche a noi❤. Credits to @fumeddy dalweb cloroformio
÷ Músicas: CHI HA
 SPENTO LA
 MUSICA??
 UM
Anche se ci scherziamo su, mancherai anche a noi❤. Credits to @fumeddy dalweb cloroformio

Anche se ci scherziamo su, mancherai anche a noi❤. Credits to @fumeddy dalweb cloroformio